[ ]

27 de março de 2011

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: DORMINDO COM O INIMIGO

Quando o ator Dado Dolabella foi condenado a dois anos e nove meses de prisão por agredir a atriz Luana Piovani e sua camareira, alguns criminalistas acharam a sentença, exagerada.
Foi graças a Lei nº 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha que está em vigor desde 2006, que isso foi possível. Tal lei foi criada para amenizar o sofrimento de muitas mulheres e punir alguns homens covardes, que existem por ai. Esta Lei representou um grande avanço da legislação. Mesmo assim, a violência permanece em muitos lares.
Antes, muitas mulheres procuravam delegacias, serviço social, Fórum e nenhuma denúncia ia adiante. Era como se a mulher não tivesse nenhuma importância e não existisse.
Mesmo com a lei Maria da Penha em vigor, não é hora de cantar vitória, infelizmente!
Estive conversando com uma vítima e ela me confidenciou que sofre agressões por parte do seu companheiro. Já fez denúncias, ele foi intimado e durante uma audiência ele negou as acusações. Porém, assumiu que agredia o seu filho de nove anos de idade na frente do Juiz. E nada aconteceu.
Pesquisas revelam como é grave o problema. A cada 15 segundos, uma mulher é agredida no Brasil. No ano de 2005, a Organização Mundial de Saúde mostrou que 29% das mulheres já sofreram violência física ou sexualmente no país. Apesar de sofrerem com isso, 25% deste total não tiveram coragem de contar para ninguém o ocorrido. Já em 2006, pesquisas revelaram que 51% de pessoas entrevistadas souberam de casos de ataques a mulheres. Em 2007, o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher, divulgou um relatório que apontava que, três de cada dez mulheres no Brasil, com mais de 15 anos, já sofreram violência física.
Dormindo com o inimigo, a maioria dessas mulheres é agredida de forma covarde por seu próprio companheiro. Seus agressores fazem isso de diversas maneiras, ou seja, começa com palavras fortes - essa é a chamada agressão verbal. Em seguida, partem para um empurrão, um puxão de cabelo e, logo, para socos, pontapés. E, por fim, ameaças de morte e muitas vezes, assassinato. 
Especialistas no assunto, afirmam que, a raiz da violência contra as mulheres é uma questão de cultura e está no machismo de nossa sociedade, que estabelece papel diferencial para cada gênero.
Este machismo na cabeça do 'dito cujo', faz com que ele encare sua companheira como sua propriedade e se ela não aceita, ele acaba usando da violência para mostrar sua força, o seu poder de macho, instituindo na intimidade do seu âmbito familiar, um território próprio e, estabelecendo assim, suas próprias leis, doa a quem doer.
A violência afeta mulheres de todas as faixas etárias e em todas as camadas sociais. Apesar das pesquisas indicarem que a maioria das agressões contra a mulher vem de classes sociais mais baixas, há casos também na classe alta, só que é de forma mais leve.
Este tipo de crime deixa cicatrizes não só no corpo, mas também na alma. Em 2005, uma pesquisa realizada no Ceará pela Universidade Federal, constatou que a violência doméstica provoca depressão em 72% das vítimas. Os dados dessa pesquisa também demonstraram que 39% das mulheres entrevistas, vítimas de violência doméstica, tentaram o suicídio.
Fazer a denúncia é sempre muito difícil, porém, necessária antes que o pior aconteça. Sentimentos como vergonha e medo é comum. Mesmo assim, não desista, siga enfrentando a situação, mesmo que seja para servir de alerta.
A lei nº 11.340/2006, conhecida como Maria da Penha, criou medidas para inibir esse tipo de violência. Entre estas, podemos citar a prisão em flagrante do agressor. Foram criados também juizados de violência doméstica para melhor proteger a mulher, afastando o ‘dito cujo’ de casa, suspensão do porte de arma, se houver, e outras que o Ministério Público e o Juiz acharem necessário.
Depois que Lei Maria da Penha entrou em vigor, foram presos mais de oito mil agressores. Infelizmente, ainda encontra-se certa resistência por parte do Poder judiciário no cumprimento da lei. Contudo, não se pode esquecer que a sansão da Lei Maria da penha foi um grande marco jurídico.

Não se acomode diante de uma situação como essa. Diga não a violência. Busque seus direitos. DENUNCIE!!! 

A ligação para a Central de Atendimento 180 vai permitir que você acesse na sua localidade, ou na região mais próxima algum desses serviços:

Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) ou então qualquer outra delegacia de polícia ou posto policial;
Defensorias Públicas, Serviços de Assistência Judiciária, Ministério Público, Juizados Especiais Criminais, Juizados de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, escritórios jurídicos de universidades ou Fórum;
Conselhos Estaduais ou Municipais dos Direitos das Mulheres, Coordenadorias/ Assessorias ou Secretarias da Mulher nos estados ou municípios, Centros de Referência de Atendimento à Mulher ou outro órgão governamental local que oriente a mulher sobre o que fazer;
Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente;
Delegacias de Proteção ao Idoso;
GRADI (Grupo de Repressão e Análise dos Delitos de Intolerância);
Disque Saúde (gratuito) 0800-611997 ou postos de saúde;
Sistema Nacional de Combate à Exploração Sexual Infanto-Juvenil, telefone
(gratuito): 0800-990500;
Delegacias Regionais do Trabalho, Postos de Benefícios do INSS ou Disque INSS (gratuito): 0800-780191.
Em algumas cidades existem também grupos de mulheres que podem dar informações e orientações sobre como buscar seus direitos.

2 comentários:

infor paint disse...

Olá meu nome é Jeronimo sou de manaus AM.
a pergunta é, nem sempre todas as vezes é o homem o agressor, há tambem muitas mulheres que são muito violentas, não que elas cheguem a bater nos homens é porque algumas delas nos agridem com palavras agrecivas que machucam muito o íntimo de uma pessoa frágil. E quando uma pessoa que não sabe controlar suas emoções e perde o controle de sua atitudes partem para a agressão isso ocorre porque a maioria das mulheres de hoje não querem ser submissa oas homens querem ter suas proprias liberdades querem ganhar espasso na sociedade muitas delas são desequilibradas não tem controle sobre si, não sabem elas que foram fritas para serem submissa ao Homem, o que muitas delas são incensatas não sabem edificar a sua casa não procuram diálogar e tirar as dúvidas. Pois disse Deus que ela seria o complemento do Homem e sua ajudadora. Mas hoje acontece ao contrario os Homens é são os seus auxilios.
Mas dificiomente quando uma mulher é virtuosa é Prudente e Sábia ela tem problema com a violência sabe elas precisam de alguns conselhos elas precisa rever o historico das relações que elas estão entrando fazendo boas escolhas. Hoje elas não querem mas namorar ou conhecer seu parceiro, elas querem ter a força o seu parceiro com isso acabam agravando as suas escolhas

Aqui vai um recado de alerta mulheres saibam fazer suas esclhas! ok

Um abraço.

Rosélia Santos disse...

Caro Jeronimo,
Concordo com vc em alguns aspectos. Para seu conhecimento também fiz uma postagem nesse sentido. O título da postagem é: Violência doméstica contra homens. Dê uma olhada.
Abraços e volte sempre!!

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Fique a vontade e volte quando quiser.
Deixe seu comentário no quadro abaixo.
Bjussss Rosélia Santos.